quarta-feira, 7 de maio de 2008

A importância do brincar para a primeira infância

A educação infantil compreende uma etapa na vida da criança na qual ela se desenvolve no meio onde está inserida nos aspectos cognitivo, afetivo, moral, social e motor, de forma quantitativa e qualitativa. A partir de tal afirmativa, observa-se a importância do brincar para essas crianças, pois através das brincadeiras, elas poderão se desenvolver amplamente, em todos esses aspectos. De acordo com Batista (2005), uma pedagogia que contemple atividade lúdica, ou seja, jogos e brincadeiras enriquecem e ampliam o universo físico, social e cognitivo da criança, contribuindo assim para a estruturação da personalidade do indivíduo apto para atuar na sociedade. A brincadeira é um ato inerente à infância, pois é um ato indispensável à saúde física, emocional e intelectual. Através dela, possibilita-se que a criança desenvolva a linguagem, o pensamento, a socialização, a iniciativa e a auto-estima. Dessa forma, a criança estará sendo preparada para ser um cidadão capaz de enfrentar desafios, que são cada vez maiores na sociedade de hoje. Essa importante etapa da infância perpassa por 2 fases do desenvolvimento de Piaget, que são o período sensório motor (0 a 2 anos) e o período operatório concreto (2 a 7 anos). Cunha (1988) estabelece condutas, ações e tipos de brinquedos e jogos para a aprendizagem e o desenvolvimento infantil, de acordo com as fases do desenvolvimento propostas por Piaget. Segundo a autora, a conduta sensória motora compreende as ações de repetição, reconhecimento sensório motor, generalização sensória motora e o raciocínio prático.

Alguns dos brinquedos citados para a faixa etária são: chocalho, cubos, potes de encaixe, brinquedos sonoros, bate-estacas, triciclo, livros etc. Já na conduta operatória concreta, devem ser estimuladas as ações de classificação, seriação, correspondência de agrupamento, relação imagens/palavras, enumeração, operações numéricas, conservação de quantidades físicas, ralações espaciais, relações temporais, coordenadas simples e raciocínio concreto, através de quebra-cabeças, jogos de encaixe, lotos, lousa, giz, boliche, fantoches, dominós, bolas, dentre outros. Através da brincadeira a criança compreende a si e ao outro, tendo todos os seus sentimentos voltados para a interação consigo mesma, com o outro e com o meio onde está inserida. Dessa forma, além de desenvolver-se em todos os aspectos, ela poderá adotar valores e atitudes que a acompanharão toda a sua vida. Atividade 1 Boliche: Confeccionar pinos de boliche utilizando garrafas pet com areia dentro. Em cada uma das garrafas que deverão ser pintadas de várias cores, cola-se uma letra do alfabeto. Os alunos deverão ser divididos em equipes e o professor entregará ao primeiro aluno de cada equipe, uma bola confeccionada com meia. Dado o sinal de início, o primeiro aluno da equipe sorteada para começar, se coloca de pé, em cima da linha que o professor deverá traçar, e atira a bola em direção às garrafas, tentando derrubá-las. Em seguida, o aluno levanta as garrafas que derrubou, mostra-as aos colegas, dizendo a letra e uma palavra iniciada com a mesma. Feito isso, colocará novamente as garrafas no lugar, passando a vez para o primeiro aluno da outra equipe, e assim sucessivamente, até que todos tenham participado. Atividade 2 Bingo de Palavras: Material: 1 cartela (ou folha de papel) para cada aluno. 24 cartõezinhos, constando em cada um deles uma palavra. Os cartõezinhos serão colocados em uma caixa ou saquinhos, para posterior sorteio. O professor escreverá na lousa as 24 palavras selecionadas, o aluno escolherá 12 e as escreverá, nos espaços da cartela na ordem que preferir. O jogo inicia-se, efetivamente, quando o professor retirar os cartões da caixa (ou do saquinho) e ditar as palavras; os alunos que tiverem tal palavra em sua cartela, marcam-na com pedrinhas ou feijões. Quem completar uma trinca (vertical) ou uma quadra (horizontal) ou a cartela inteira será o vencedor. Referências: BATISTA, Cleide Vitor Mussini. Brincar, escola e aprendizagem. In: UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ. Curso normal superior: habilitação para os anos iniciais do ensino fundamental: módulo 6. Londrina: UNOPAR: CDI, 2005. CUNHA, N. H. S. Brinquedo, desafio e descobertas – subsídios para a utilização e confecção de brinquedos. Rio de Janeiro. FAE, 1988.

8 comentários:

Rose Diniz® disse...

Oieeeeeeeee tudo na paz? Passei pra te visitar e te convidar pra um café da manhã no meu blog terça, 20/05 ok? Conto com a sua presença. Vc é muito especial. Beijos docinhos pra vc e uma abençoada semana em nome do Senhor nosso Deus.

Rose Diniz® disse...

Oie tudo bem? Como foi seu feriado? Descansou bastantee? Passei pra fazer uma visitinha. Deus te abençoe e muita paz nesse dia. Em breve o Ensinando e Aprendendo volta. Por enquanto estou só no outro ok? Beijos docinhos.

Rose Diniz® disse...

blog já está no ar e vc está convidada pra "re-inauguração". Espero que goste. Vc precisa alterar o link que está na sua página ok? Beijos docinhos

Rose Diniz® disse...

Oieeeee tudo bem? Vim avisar que o novo blog do Ensinando e Aprendendo já está no ar e vc está convidada pra "re-inauguração". Espero que goste. Vc precisa alterar o link que está na sua página ok? Beijos docinhos

Rose Diniz® disse...

Bom dia minha amiga flor. Tudo bem? Estou fazendo minhas visitinhas e estou muito feliz. Consegui colocar o link dos comentários no blog depois de muita dor de cabeça. Que bom! Tenha uma semana abençoada em nome de Jesus. Beijos

Rose Diniz® disse...

Oi flor, ó eu aqui travêis!!! Vim desejar-te bênçãos infinitas sobre sua vida, parabenizar pelos trabalhos e oferecer um selinho carinhoso lá no meu blog ok? Deus te abençoe e muitos beijos docinhos pra você!

Bruninha disse...

oie eu tbm vim te oferecer umselinho pra vc.
bjinhuxxxxxxx

Aline disse...

´parabéns pelo blog! adorei este post!